quinta-feira, agosto 22, 2002

VMB? Caetano Veloso? Que porcaria! Eu torci muito pro Rappa. Agora querer elevar Caetano a status de Deus (ele ainda não se deu conta de que não o é) é o fim do mundo. Um país que idolatra uma pessoa que renegou todas as suas origens, tudo que lutou em sua vida, por causa do dinheiro, não merece consideração.
Ontem li o livro 'O Positivismo', que trata da filosofia de Augusto Comte, um juspositivista. Positivistas são aqueles que acreditam que tudo que deve ser seguido é o que está escrito nos códigos. Nada além disso é direito. E suas idéias se confrontavam com as de Herbert Spencer, um jusnaturalista. Naturalista são as pessoas que acreditam na existência dos direitos naturais das pessoas, como vida, liberdade, enfim, direito que todas as pessoas tem ao serem geradas e que não estão escritas em nenhum código. Dou 5.000 reais se adivinharam qual filosofia o direito brasileiro segue. Uma dica: o lema de Comte era 'amor, ordem e progresso', pois uma sociedade com amor sempre teria a ordem, que consequentemente, traz o progresso a todos. Com o progresso, advém a felicidade, e o amor pela sociedade em que se vive. É um ciclo. Anny, se você ler meu blog, gostaria de saber se sabe onde encontrar um contador bom para o site. Beijos!

quarta-feira, agosto 21, 2002

 Eu vi esse livro no site da Época Cristo: uma Crise na Vida de Deus, e achei o título bem interessante.

 

 Estou apanhando para montar esse blog, mas eu chego lá. Só não postei nada ainda porque eu tenho que aprender a arrumar isso primeiro. Bom dia a todos!

segunda-feira, agosto 19, 2002

 


Está aí um ótimo filme que retrata muito
bem o tema do meu blog... Aliás, é do mesmo escritor de Blade
Runner, outro clássico dos clássicos. Disse que não iria
escrever sobre meu dia a dia, mas gostaria de agradecer a Anny pela colaboração
no meu site. :)




Estou inaugurando este blog porque não aguento mais guardar algumas idéias
para eu mesmo.

Hoje chegou ao ápice. Eu estava assistindo um programa jornalístico
e vi os maus tratos com animais de circo. Bateu aquele sentimento profundo de
justiça. Eu, que tanto ouço falar em direito (sou estudante de direito),
que todos temos direitos, direito natural,direito positivo... É nosso direito
de termos direitos. Mas e os direito dele? Eu os comparei aos pobres, favelados,
crianças de ruas, miseráveis que não mais o são que
simples animais de circos, prontas para serem adestrados para nosso simples e
puro divertimento. Quem gosta de ver crianças sujas, fedidas, mendigando
em porta de bancos? É preferível vê-las correndo da polícia.
Que grande espetáculo esse! A polícia está fazendo seu trabalho!
A polícia trabalha! Joguem-nas na FEBEM. Lá existem exímios
domadores de gente. Você consegue lapidar uma criança muito rápido.
Enfim, não sei se alguém irá ler ou não esse blog
um dia, mas pelo menos eu consigo expressar minha indignação de
forma escrita (por enquanto)...